Vale do Loire

Conhecida como a região dos castelos, o Vale da Loire foi tombado em 2000 como Patrimônio Mundial da Unesco. Apesar de muitos monumentos terem conseguido atravessar os séculos e estarem, hoje, abertos ao público, os Castelos de Amboise, Chenonceau, de Clos Lucé e Chambord são considerados visitas imperdíveis nesta região histórica e encantada, bem no coração da França.

O Castelo de Amboise, que existe desde o século XI, é marcado pela presença de vários reis franceses (pelo menos 10 habitaram o local) e guarda o túmulo do pintor italiano Leonardo Da Vinci em uma charmosa capela gótica. A decoração das salas do palácio foi reconstituída o mais próximo possível do original, impregnado das artes italiana e flamenca. Vale a pena também dar uma passadinha pelo jardim, o primeiro a ser projetado no estilo renascentista.

O Clos Lucé, um charmoso castelo do século XV, construído em tijolinhos rosa com detalhes em branco. Convidado pelo rei François I a passar uma temporada na França, lá é o local onde morou Leonardo da Vinci nos seus três últimos anos de vida. Antes de sua morte, em 1519, o pintor desenhou mais de cem obras botânicas, fez pesquisas geológicas e composições paisagísticas. No Jardim, criado segundo as obras do artista, é possível descobrir o universo do pintor, que teria finalizado, no próprio Clos Lucé, três das suas mais importantes obras: a Joconde, o São João Batista e a Santa Ana.

Chambord, com um muro de 32 quilômetros é conhecido como o símbolo da desmesura Real. O castelo, que foi construído a mando de François I e inspirado nos desenhos de Da Vinci, é o maior da região. Ele é considerado uma das obras centrais da arte da Renascença e é, hoje, um dos únicos da região pertencentes ao governo francês. Situado numa área de 22 mil quilômetros quadrados é um dos últimos refúgios da vida selvagem na França. Lá ainda podemos ver cervos e javalis além de espécies ameaçadas de pássaros e arvores.

O Castelo de Chenonceau é, sem dúvida, uma das visitas incontornáveis do Vale do Loire. Residência da família real e propriedade da coroa francesa durante séculos, o lugar simboliza perfeitamente a cultura francesa por ser “banhado” de história e possuir uma importante coleção de pinturas, móveis e tapeçarias do século XVI. Conhecido, também, como O Castelo das Damas, originalmente foi construído em 1513, por Katherine Briçonnet. Já os dois jardins que cercam o castelo, foram criados por Diane de Poitiers, amante de Henrique II, e pela rainha Catarina de Médicis esposa “oficial” de Henrique II que expulsou a rival depois da morte do marido. Catarina foi durante muito tempo, uma das mulheres mais poderosas do país, mãe de três reis e também considerada uma figura mística (Nostradamus foi seu conselheiro). Chenonceau é o segundo castelo mais visitado na França depois de Versailles.

O Castelo de Ussé, que foi construído por um viking normando (Gueldin de Saumur) em 1642 com a primitiva função de fortaleza medieval, sobreviveu a guerras e batalhas. Ele mais parece ter saído de um conto de fadas mas, na verdade, afirma-se que foi justamente ao contrario: dizem que o castelo inspirou Charles Perrault (1628 – 1703) a escrever o seu famoso conto “A Bela Adormecida” depois imortalizado nas telas por Walt Disney. O castelo atualmente se encontra em bom estado de conservação e em sua visita podemos contemplar uma exposição de trajes e costumes da época bem como salas decoradas que nos dão uma boa idéia de como era a vida no castelo. Em algumas salas vemos também a representação da princesa enfeitiçada que é despertada pelo beijo de um príncipe encantado, ao qual o castelo foi a fonte de inspiração.

O Vale do Loire é uma região de sonhos e histórias que ao conhece-las, nos faz viajar no tempo!

Fale Conosco